Você já se adaptou ao hábito de fazer tudo através da tela de seus equipamentos?

Se você não está chegando de Marte agora, certamente viu sua realidade ganhar novo enquadramento nos últimos meses. Conforme o novo Coronavírus se espalhou pelos cinco continentes, as telas viraram a nossa forma de comunicação com o mundo mais utilizada.

O que já era uma tendência global passou a ser uma necessidade e a tecnologia virou o meio de nos aproximarmos da família, dos nossos colegas de trabalho e, também funciona como para as plataformas de educação.

Acontece que é muito diferente estar num evento presencial usando todos os sinais – como expressão corporal, por exemplo – para captar informações e decodificar as mensagens passadas pelos presentes, e participar digitalmente de uma conferência, quando só temos o enquadramento das lentes e o som nem sempre tão nítido. 

Já que ainda estamos em processo de adaptação, acabamos nos cansando devido ao esforço para compreender todas as informações através da tela. Além disso, tem a monotonia de “ir” a todos os compromissos sem sair do mesmo lugar: encontramos os amigos, fazemos reuniões, assistimos shows e fazemos cursos sentados na mesma posição, no mesmo cômodo e olhando para o mesmo aparelho. 

Felizmente, a tecnologia está sempre progredindo e tudo indica que tenhamos serviços de streaming que aproximem cada vez mais os usuários da realidade. Isso sem contar a adaptabilidade do ser humano – quanto mais utilizamos, aprendemos e compreendemos as ferramentas, mais confortáveis ficamos em relação a elas. O mesmo vale para a capacidade de reinventar realidades e usar a criatividade a nosso favor: variar os cômodos da casa para fazer diferentes atividades, entender qual é a melhor periodicidade de intervalos no dia a dia e desenhar a rotina a nosso favor.
Essas reflexões dizem respeito tanto a quem passou para o home office durante o isolamento social quanto a quem ainda mantém sua rotina de trabalho externa. Isso porque, mesmo que você ainda esteja saindo para trabalhar, muito provavelmente também tenha se deparado com a realidade das telas para encontrar os amigos ou a família, para assistir um show ou um filme e para estudar.